#UM DIA VOU CORRER UMA MARATONA – PARTE II

A “luta” continua! 🙂

Quem corre, cansa-se… E quem corre muito começa a sentir algum desconforto.

É normal. São grandes volumes de treino.

E vou-vos ser honesta, cá para mim, preparar maratonas, não dá saúde a ninguém! 🙂

#pé plano

Com os km que fui acumulando nas pernas, fui sentindo um ligeiro “desconforto” na zona lateral do gémeo. Ficava dorido após os treinos, como se houvesse por ali um tendão inflamado ou coisa parecida.

Como sou uma menina que suporto bem a dor, não liguei muito e tentei relativizar.

Mas como a dor se repetia, pensei para mim:

“M. tens muitos km ainda por fazer… não podes por em causa o esforço feito até agora. Vamos lá ver isso do gémeo.”

Comecei por marcar consulta no osteopata. O Filipe Paias deu cabo de mim!

Apertou-me , torceu-me e deu-me nas orelhas por não ter cuidado nenhum comigo.

Queixei-me do gémeo e do desconforto que sentia e ele “diagnosticou-me” logo um “pé plano”, sem qualquer curvatura, que me faz ter uma passada pronada muito acentuada, que me força demais o gémeo e provoca dor.

img-6767-1.jpg

Informação técnica:

[ Já quase toda a gente ouviu falar dos “Testes de Passada” que se fazem em algumas lojas de deporto. Podemos ter passada neutra, passada pronada ou passada supinada.

Eu não sou especialista nesta matéria. Sabia que tinha uma passada com tendência a pronada mas não tinha noção que tinha os pés mais deficientes da história! 😉 ]

Depois de me “amassar” ao ponto de eu ter vontade o insultar muito alto, e de me espetar agulhas (literalmente) o Filipe aconselhou-me a visitar um podologista e a fazer umas palmilhas personalizadas adaptadas às minhas limitações.

#avaliação biomecânica

Andei a pesquisar na net sobre palmilhas desportivas personalizadas e marquei consulta na Vita Saúde, para fazer uma Avaliação Biomecânica de Corrida.

(Não tenho qualquer patrocínio! ;))

A Podologista quando olhou para os meus pés ficou em choque:

“Não sei como é que a M. corre…Tem o pé completamente plano. Faz o triplo do esforço de uma pessoa normal para correr! Tem que ser mesmo persistente.”

O ar de pânico da senhora assustou-me…

Começo a entender que as razões da minha falta de gosto pela corrida podem ter uma origem anatómica, mas não sinto que o esforço que faça seja assim tão sobrenatural.

Tenho o pé plano, com quase nenhuma curvatura. O que me faz ter tendência para rodar os joelhos para dentro e forçar os gémeos e a anca.

Fiz a avaliação, tirei o molde para as palmilhas, e em duas semanas estavam prontas a ser experimentadas.

(Para os mais curiosos, as palmilhas custaram 90€. Mas são 90€ para o bem da minha saúde: dos meus joelhos, da minha anca, das minhas articulações…)

Segundo a Podologista, as palmilhas podem durar muitos anos. Vão sendo “reforçadas” se eu sentir que perderam alguma forma e posso (e devo) usá-las em todos os treinos. Inclusivamente nos de força, para me ajudaram a corrigir a postura e manter uma posição mais natural, sem fazer tanto esforço…

(É desta que eu vou começar a “bombar” nos agachamentos! 😉 )

#adaptação

A Podologista avisou-me logo que as palmilhas, nas primeiras utilizações, poderiam causar um certo “desconforto”.

São um elemento estranho, que força o pé a uma posição que não é a habitual.

Resolvi experimentá-las pela primeira vez num treino de “apenas” 8km, com velocidade moderada, para não ser um impacto muito grande.

A experiência foi péssima!

Antes do km 2, tive de tirar a palmilha do pé direito, porque já não aguentava de dores com a mega bolha que me tinha nascido.

No pé esquerdo, aguentei o incómodo até ao fim, mas não me livrei da bolha…

Conclusão: terminei o meu treino tranquilo de 8km com os pés muito amassados…

Percebi que não é boa ideia começar a usar as palmilhas em treino e optei por usá-las no dia a dia. Até ganharem a forma do meu pé e eu me adaptar melhor à usa forma.

Entretanto, voltei à Podologista que me “afinou” a forma das palmilhas e estou a ganhar coragem para as voltar a usar em treino…

#30km

O último mês foi duro em termos de treino…

Corri, nada mais, nada menos, que 236 km….

30 deles seguidos! 🙂

Correr 30km seguidos é um dos momentos mais marcantes na preparação para a Maratona.

O entusiasmo é proporcional ao medo.

A vontade que chegue o dia é equivalente ao aumento da ansiedade à medida que a data se aproxima!

“Será que vou ser capaz?”

“30 km é imenso…”

O Dr.Runner (@dr.runner.pt), experimente nas preparações das grandes provas, já sabe o que os 30km implicam. Conhece bem a adrenalina deste treino e a importância física e psicológica que tem nos atletas que se estão a preparar para se arriscar nos 42km da Maratona.

Por isso, apesar de todos termos Planos de Treino diferentes e adaptados à nossa condição física, no dia 03 de Setembro, todos tínhamos 30km para correr!

Um treino de 30km deve ser assinalado de forma especial e o Dr.Runner tratou de tudo ao pormenor.

Programa das Festas:

  • 07h00 – Ponto de encontro no Parque da Cidade
  • 07h10 – Saída a pé até à Estação de Metro ‘Câmara de Matosinhos’
  • 07h20 – Chegada à Estação para comprar cartões e viagens
  • 07h36 – Apanhar o metro na estação ‘Câmara de Matosinhos’
  • 07h52 – Trocar de metro na estação ‘Senhora da Hora’
  • 08h32 – Chegada à estação da Póvoa de Varzim e dar início ao treino

(O detalhe da organização do Joel fascina-me! 😉 )

Sim, leram bem!

Íamos correr da Póvoa ao Porto… :/

IMG-5115

A viagem de metro foi uma mistura de risos e nervos.

Há medida que o metro andava eu só pensava: “Vou ter que correr isto tudo para trás…”

Acho que a ansiedade morreu quando eu carreguei no botão “INICIAR TREINO”.

Lá fui eu. Sem olhar para o relógio. Sem controlar o ritmo. Sem contar todos os km…

Os primeiros 10km passaram sem que eu desse por eles.

Íamos em grupos com ritmos idênticos que se foram ajustando ao longo do percurso.

Uns riam, outros contavam histórias, outros suspiravam, mas todas se apoiaram ao longo de cada passada.

km 17 – A bolha que a palmilha me fez começa a “chatear”…

Nada a fazer. Vai chatear mesmo, porque eu não vou parar.

“Já só faltam 13km, pensei eu…”

km 20 – Os quilómetros começam a passam mais devagar. Mas eu, tirando o incómodo no pé, sentia-me bem.

Do grupo inicial, já só estava eu e a Cláudia, que foi a minha parceira desta grande aventura!

km 25 – Os últimos 5 km foram uma adrenalina só. Estávamos mortas, mas com tanta vontade de acabar que, de forma natural, aceleramos o ritmo: 5’10”, 5’08”, 5’05”…

km 30 – Um misto de alegria e de orgulho! Conseguimos! “Já só faltam mais 12km!”

O fim do treino teve direito a muito convívio e animação.

Esperamos que todos chegassem e festejamos juntos esta conquista!

Correr assim, nem custa!

Dr.Runner Team (@dr.runner.pt)

IMG-5625

#Faltam 2 meses

Estou em contagem decrescente…

Falta menos tempo de preparação do que aquele que já passou.

A aventura Maratona começou em Junho e não tarda chega ao fim!

Já me superei tantas vezes! 🙂

Sinto-me orgulhosa desta caminhada e de cada treino que tenho feito.

IMG-5114

Próximos objectivos:

  • “Atinar” com as palmilhas.
  • Escolher as sapatilhas da prova.
  • Adaptar-me aos “Géis” e à alimentação durante a prova (tenho tanta dificuldade em tomar aquelas ‘cenas’ tão doces… :/ )

Tudo é fundamental para o sucesso do grande dia!

Meu P. obrigada por me teres lançado o desafio, pela companhia e por tanto companheirismo em todos os momentos… 🙂

 

#vamoscomtudo

@missfit.insta

3 thoughts on “#UM DIA VOU CORRER UMA MARATONA – PARTE II

  1. Lígia says:

    Olá.
    Para o ano “penso” fazer a minha primeira e talvez única maratona, por isso ando curiosa a ler as várias atletas que se estão a preparar.
    Também sou pronadora acentuada, e o primeiro problema que tive foi nos joelhos. Passou mais de um ano e as minhas palmilhas parecem mais umas ferraduras de tantos “arranjos” que tiveram, os problemas continuaram e a minha fisioterapeuta aconselhou-me a deixar de andar com elas. Tenho-me sentido bem melhor, mas cada caso é um caso e conheço várias pessoas que se adapataram muito bem e correm felizes e contentes com elas.
    Quanto ao gel, para mim qualquer um serve, porque detesto o sabor de todos, são mesmo horríveis, mas tem de ser.

    Até à maratona bons treinos e na maratona que tudo seja 5 estrelas e te divirtas muito, nesse dia estarei lá, mas ainda na family race. 😀

    Beijinhos

    Like

Leave a Reply

Fill in your details below or click an icon to log in:

WordPress.com Logo

You are commenting using your WordPress.com account. Log Out /  Change )

Google+ photo

You are commenting using your Google+ account. Log Out /  Change )

Twitter picture

You are commenting using your Twitter account. Log Out /  Change )

Facebook photo

You are commenting using your Facebook account. Log Out /  Change )

Connecting to %s